5/5 - (2 votes)

Está sem grana para se manter na faculdade? A Bolsa Permanência pode ser a solução a fim de ajudar a custear as despesas do curso superior.

A gente sabe que o vestibular e o ENEM são apenas os primeiros desafios da vida acadêmica. Depois disso, você vai passar por muitas outras avaliações, horas de estudo e noites mal dormidas. Mas talvez o maior desafio seja a grana curta para se manter no seu curso.

Publicidade

Segundo um estudo realizado pelo Inep, metade dos calouros de 2010 desistiram do curso superior em que entraram naquele ano. Entre outros problemas, a questão financeira infelizmente é um dos principais motivos da evasão.

Esse cenário mudou um pouco depois da criação de programas de financiamento estudantil. Entre os alunos contemplados, a evasão ficou abaixo da média.

Isso mostrou a importância dos programas à permanência dos estudantes na faculdade. Não é por acaso que um dos programas do governo se chama Bolsa Permanência ― e é sobre ele que vamos falar agora.

Publicidade

Quer saber como funciona esse programa? E como você pode garantir o auxílio e custear os seus estudos? Então, acompanhe agora a fim de entender tudo:

O que é a Bolsa Permanência?

Bolsa Permenência

Bolsa Permanência é uma ação do governo federal que concede auxílio financeiro a estudantes matriculados em instituições de ensino superior.

A intenção é ajudar os estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, sobretudo indígenas e quilombolas, a custear as despesas dos estudos.

Ao entrar na faculdade, esses estudantes geralmente se deparam com dificuldades financeiras para adquirir os materiais necessários ao curso. Soma-se a isso o custo de vida (moradia, transporte, alimentação), muitas vezes em cidades distantes da sua residência familiar.

Publicidade

Assim fica difícil estudar e pagar as contas no fim do mês, né?

Por isso, a Bolsa Permanência visa qualificar a vida acadêmica dos estudantes e viabilizar sua permanência no Ensino Superior.

Dois programas do governo oferecem Bolsa Permanência. Um deles se destina aos alunos de instituições federais, e o outro, aos alunos bolsistas do Prouni em instituições privadas.

Qual o valor da Bolsa Permanência?

O benefício deve ser equivalente ao valor das bolsas de iniciação científica das instituições de ensino superior. O programa também garante a indígenas e quilombolas uma assistência diferenciada, igual a pelo menos o dobro do valor concedido aos demais estudantes.

Portanto, não há um valor fixo. Ele é definido em edital publicado pela Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação.

Em 2018, o valor foi de R$ 900 a indígenas e quilombolas e de R$ 400 aos demais estudantes.

Quem tem direito à Bolsa Permanência?

Gostou de conhecer a Bolsa Permanência? Então, saiba agora se você também pode solicitar esse auxílio.

A fim de ter direito à Bolsa Permanência, o estudante deve cumprir alguns requisitos. No programa a instituições federais (exceto a indígenas e quilombolas), o aluno deve:

  • Ter renda familiar de até 1,5 salário mínimo por pessoa;
  • Estar matriculado em curso de graduação com carga horária média igual ou superior a 5h/dia;
  • Não exceder 2 semestres além do tempo regular do curso à formatura.

Já no Programa do Prouni (instituições privadas), os requisitos são os seguintes:

  • Ter bolsa integral do Prouni em utilização;
  • Estar matriculado em graduação presencial com, no mínimo, 6 semestres de duração e com carga horária média igual ou superior a 6h/dia.

Além disso, o aluno também deve assinar um termo de compromisso e ter o seu cadastro aprovado pela instituição de ensino.

Caso o estudante já receba outras bolsas acadêmicas ou do governo, ele pode acumular mais esse benefício, desde que a soma de todos não ultrapasse 1,5 salário mínimo.

Como conseguir a Bolsa Permanência?

Primeiramente, a fim de conseguir a Bolsa Permanência, você deve se enquadrar no perfil que mostramos acima. Está dentro dos requisitos? Então, saiba agora o que fazer.

As bolsas do programa são pagas pelo Ministério da Educação, diretamente aos estudantes, mas quem faz o processo de seleção é a instituição.

Portanto, você deve se informar diretamente com o setor de assistência estudantil da instituição em que você está matriculado (ou em que pretende cursar sua graduação). Cada uma pode ter procedimentos e exigências de documentação diferentes.

Confirme também com a instituição quais cursos permitem a concessão da bolsa, conforme a sua carga horária, que também é um requisito.

Após as solicitações dos alunos, a instituição verifica toda a documentação e comprova a situação de vulnerabilidade do estudante. O MEC, então, homologa as inscrições e efetua os pagamentos aos estudantes.

Quanto tempo dura a Bolsa Permanência?

A Bolsa Permanência pode ser concedida em todo o período da graduação, desde que o aluno continue cumprindo os requisitos do programa. Portanto, a bolsa pode ser encerrada se:

  • O bolsista se desligar da graduação ou se transferir a outro curso com carga horária inferior à exigida;
  • A bolsa do Prouni for cancelada (no caso das instituições privadas);
  • For comprovado que o estudante está usando a bolsa a outros fins que não sejam as despesas educacionais, como transporte e material didático;
  • For comprovado que o aluno prestou informações falsas ou omitiu algo para conseguir a bolsa;
  • O governo federal não tiver orçamento ao programa.

Enfim, isso é tudo o que você precisava saber sobre a Bolsa Permanência. Ela pode ser a solução que você precisa para viabilizar os seus estudos sem ficar naquele aperto no fim do mês.

Assim você consegue não só realizar o sonho de entrar na universidade, mas também de finalizar o curso superior com sucesso!

Agora, se você ficou com alguma dúvida sobre a Bolsa Permanência, deixe um comentário a fim de que possamos ajudar!

Pin It on Pinterest